No último dia 10 foi realizada reunião no Ministério Público, Comarca de Congonhas/MG, para tratar sobre a retirada da intervenção pela qual passa o Hospital Bom Jesus (HBJ).  Presidiu a sessão Dr. Gilmar de Assis, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde (CAO Saúde) e Dr. Vinícius Alcântara, Promotor de Justiça da Comarca de Congonhas. Estiveram presentes Luiz Fernando Catizane e Marco Aurélio da Silva, representantes da Comissão Interventora, Dr. Leonardo Martins, assessor jurídico da Federassantas, Dr. Juliano Cunha, procurador do município de Congonhas, Célia Maria Coelho, secretária adjunta da Secretaria Municipal de Saúde (SMS/Congonhas), bem como a equipe do Instituto Laborare, empresa gestora da unidade.

Durante a reunião foram debatidos a cronologia e o cenário do período de intervenção, que completará três anos no início de 2017. A reunião contou ainda com a explanação sobre os avanços alcançados após a contratação do Instituto Laborare. Também foi pauta a questão assistencial da urgência e emergência do município de Congonhas, como um todo, e o histórico dos problemas quanto à judicialização, que são recorrentes no município.

Por fim, foi discutida a necessidade de alteração do estatuto da Associação Hospitalar Bom Jesus, a fim de que a transição para a retirada da intervenção ocorra de forma a preservar os avanços assistenciais e administrativos já alcançados e manter a ascendência desses resultados.

Raissa Rodrigues, gerente de projetos do IL, reforça que “O modelo de gestão proposto para a unidade permite crescer de forma organizada, com planejamento de médio e longo prazo. O foco está na qualidade da assistência, no cumprimento do dever social do hospital e na valorização da equipe interna”, ressalta a consultora.

A reunião foi positiva e todos os participantes se mostraram otimistas com novos rumos para o HBJ. Tiago Lucas, diretor executivo do Instituto Laborare, explica que novos passos estão por vir, como a construção de um Plano de Ação específico para este período de transição. “A reunião foi encerrada com um pacto de apoio do Dr. Gilmar, no sentido de enviar estrutura para a construção de um Plano de Ação que contemple as atividades necessárias para a efetivação da referida transição em relação ao modelo de gestão e governança corporativa presentes no HBJ. O intuito é manter e aprimorar a qualidade da assistência e promover a sustentabilidade financeira” destaca o diretor.

Deixe uma resposta