Resultados da nova gestão do HBJ são apresentados a vereadores 24 fev 2017

A apresentação foi feita por Tiago Lucas, diretor-presidente do IL, que também anunciou a instalação de novos serviços e a implantação do Projeto UTI em 2017.

Mais de 90% dos usuários internados no Hospital Bom Jesus (HBJ) aprovam a instituição. Esse e outros índices de aprovação do usuário da Associação Hospitalar Bom Jesus de Congonhas no último ano foram apresentados aos membros das Comissões Permanentes da Câmara dos Vereadores de Congonhas, na última quinta-feira (23.02), por Tiago Lucas, diretor-presidente do Instituto Laborare (IL).

Segundo Tiago, o resultado expressivo da satisfação do usuário confirma a conquista do objetivo perseguido pelos gestores no último ano. “Ao assumir a gestão da instituição observamos que havia um descrédito da população de Congonhas em relação ao serviço prestado pelo hospital. Era preciso mudar isso. E é o que estamos fazendo. Tudo o que realizamos é direcionado para a melhoria do conceito do usuário acerca da qualidade do serviço de saúde no HBJ”.

Além de relatar como era o HBJ antes da implantação da nova gestão, Tiago Lucas mostrou aos vereadores os avanços ocorridos em um ano. Ele anunciou que em 2017 serão iniciadas as obras do Projeto UTI e que a instituição vai ofertar novos serviços, como consultas psiquiátricas no Ambulatório de Especialidades, cirurgias plástica, de otorrinolaringologia e de oftalmologia e, ainda, a realização de exames Duplex Scan.

Projeto UTI – Lucas anunciou a construção de 10 leitos de Terapia Intensiva (UTI), de um Centro de Imagens com Tomografia Computadorizada e de um Bloco Cirúrgicos com 04 novas salas.

Para a implantação desse projeto, a Câmara de Vereadores aprovou no ano passado o repasse de R$ 5,2 milhões. O gestor do IL alertou que esse valor, ainda não repassado pela Prefeitura ao HBJ, não contempla a equipagem dos leitos.

Conquistas – Há um ano o HBJ apresentava baixa taxa de ocupação hospitalar, não havia controle sobre os resultados da gestão de processos, pela ausência de monitoramento dos indicadores assistenciais, a resolubilidade da instituição era baixa, a estrutura física era inadequada. Os recursos financeiros também eram insuficientes. Com a gestão implantada pelo IL os avanços já são percebidos e recebem a aprovação da população de Congonhas. O cenário atual aponta para avanços e conquistas, que vão desde ajuste dos fluxos internos ao estabelecimento do fluxo com os demais pontos de atenção de saúde no município. [RA1] 

No Pronto Atendimento, foi registrado um aumento de 45% no número de atendimentos aos pacientes do SUS e a inauguração de um Ambulatório de Especialidades veio atender às demandas da Secretaria Municipal de Saúde. Veio também socorrer os pacientes da saúde suplementar classificados na triagem do Protocolo de Manchester como pouco urgente ou não urgente, no intuito de amenizar o fluxo do Pronto Atendimento.

Outra melhoria realizada no mesmo período foi a Unidade de Internação. A Taxa de Ocupação Hospitalar (TOH) cresceu. O aumento foi de 26% quando comparada ao mesmo período do ano anterior, principalmente no que se refere ao SUS.

A implementação da Política de Humanização também merece destaque. Para atender a essa necessidade foi contratada uma assistente social, o horário de visita foi estendido para o turno da noite e uma Brinquedoteca foi inaugurada recentemente.

Pactuação de metas e de indicadores – O contrato de Prestação de Serviços Ambulatoriais e Hospitalares, firmado entre o HBJ e a Prefeitura de Congonhas, veio garantir a assistência à população por meio de indicadores e de resultados pré-definidos.

Para garantir o repasse do recurso mensal para o custeio da instituição, foi feita a Pactuação de Indicadores e Metas Físico/Financeiras, Qualidade e Gestão.

Os contratos com fornecedores foram revistos e como exemplo, Tiago Lucas citou o contrato de fornecimento de gases medicinais. Só com a revisão desse contrato, a economia anual é de cerca de R$ 130 mil.

Infraestrutura e equipamentos – Nos últimos doze meses foram realizadas melhorias na parte externa e interna do Hospital. A fachada foi pintada e o telhado reformado.

Para melhorar o acesso às unidades de internação masculina e feminina, o elevador foi readequado e o Alvará Sanitário, vencido desde 2015, foi renovado.

Outra melhoria foi a instalação do equipamento de ultrassonografia, permitindo o atendimento, principalmente, dos pacientes internados e da Secretaria Municipal de Saúde

Gestão da Qualidade – O início desse processo se deu com a definição da Missão, Visão e Valores do HBJ e de cada setor da instituição. Em paralelo, iniciou-se o Mapeamento de Processos e a elaboração da Cadeia Cliente-Fornecedor, com a definição de indicadores para acompanhamento e monitoramento dos setores. Além disso, foi feito Levantamento de Necessidade de Treinamento (LNT) para cada setor;

Também foram realizados avanços na comunicação interna e externa. O objetivo foi valorizar a marca, além de criar um canal de informação com a imprensa local e regional.

Tiago apontou avanços também na transparência da gestão e na comunicação interna. O hospital dispõe agora de quadros de Gestão a Vista para mostrar indicadores, informações institucionais, da Gerência da Qualidade, CCIH, CIPA, Gerência de Pessoal e Campanhas de Saúde.