Redução da mortalidade materna é prioridade no mundo 28 maio 2017

Hoje, 28 de Maio, é  o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna. A melhoria da saúde materna é a quinta meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, listados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A meta estabelecida pela ONU para o Brasil é de, no máximo, 35 óbitos maternos para cada 100 mil nascidos vivos.
As mortes consideradas maternas são aquelas que acontecem devido a complicações da gestação, no parto ou logo após a chegada do bebê. As principais causas são: hemorragia; hipertensão; infecções; parto obstruído ou outras causas diretas; complicações de abortos; e coágulos sanguíneos (embolia).
Vale lembrar que condições epidêmicas como a incidência do vírus H1N1 e de doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti, como o Zika Vírus e chikungunya podem ser determinantes no aumento da mortalidade materna. Daí a importância da conscientização quanto às formas de prevenção, dentre elas a vacina contra o H1N1, para a qual as gestantes estão entre os grupos prioritários.
O Dia 28 de Maio é pautado pela defesa do pleno exercício dos direitos sexuais e dos direitos reprodutivos das mulheres, de debate sobre as questões relacionadas à morte das mulheres durante a gravidez, o parto, o pós-parto e decorrente de abortos inseguros. Esses direitos se expressam pelo acesso universal e irrestrito da população feminina aos cuidados de saúde com profissionais qualificados, medicamentos e insumos, implementados no Sistema Único de Saúde (SUS).