Entre os meses de setembro a novembro acontece dentro do Hospital Bom Jesus a Avaliação de Desempenho.  Esse processo, dentre os seus objetivos, tem a finalidade de gerar consenso e potencializar os resultados na medida em que os colaboradores expõem as suas demandas e sabem, de forma institucional, quais são os resultados operacionais esperados deles.

A pesquisa, liderada pelo Departamento de Recursos Humanos e Departamento de Qualidade, prevê a avaliação em todas as esferas: Administração, Gestão e Operacional. Monique Santos, gerente de Recursos Humanos do HBJ, explica que a avaliação tem o objetivo de esclarecer a percepção dos colaboradores acerca da instituição. “Uma das metas do hospital é estar mais próximo dos seus colaboradores, saber o que eles pesam, quais as melhorias indicam para os seus locais de trabalhos e, em especial, fazer com que eles compreendam o que a instituição espera deles gera consenso e entendimento mútuo”, avalia.

Em janeiro deste ano o HBJ começou a ser administrado pelo Instituto Laborare. O novo modelo de gestão foi bem aceito pela equipe operacional e alguns resultados positivos já são observados na unidade. A orientação inicial da Superintendência foi dotar os colaboradores de informações reais e objetivas, para que os mesmos conhecessem quais eram os planos de ação desenvolvidos para a unidade e pudessem contribuir dentro dos seus postos de trabalho.

A gerente de Qualidade do HBJ e consultora do Instituto Laborare, Karla Lima, relembra que há dois meses foi realizado o Encontro do Grupo Gestor, com o objetivo de integrar todas as áreas. “O Plano de Qualidade desenvolvido para o Bom Jesus assegura que os colaboradores terão voz ativa. Saber deles, que estão na operação do dia a dia, quais são os pontos de melhora nos parece uma estratégia correta”, explica.

A pesquisa de Clima Organizacional será realizada durante a primeira quinzena de Outubro (03 à 14/10). Quando os resultados já estiverem tabulados a superintendência do HBJ se reunirá com os coordenadores de cada área para debater ações estratégicas que irão atacar os pontos de “não conformidade” relatados pelos colabores. O objetivo da direção é criar um ambiente de trabalho acolhedor, motivador e meritocrático – fazendo com que o índice de satisfação interna ultrapasse os 70% até o final de 2016.

Deixe uma resposta