Exercícios físicos e alimentação equilibrada melhoram os sintomas da Síndrome do Ovário Policístico 06 jul 2017

A Síndrome do Ovário Policístico, também conhecida pela sigla SOP, é um distúrbio endócrino que provoca alteração dos níveis hormonais masculinos (testosterona), levando à formação de cistos nos ovários.
Os sinais e sintomas dessa síndrome são menstruação irregular; excesso de pelos no rosto, na barriga e nos seios; excesso de oleosidade na pele; queda de cabelo e dificuldade para engravidar. Para ser diagnosticada, é preciso que a mulher apresente dois ou três sintomas combinados, e que seja excluída outra doença.
Sua causa ainda não é totalmente esclarecida. A hipótese é que a síndrome tenha uma origem genética e estudos indicam uma possível ligação entre a doença e a resistência à ação da insulina no organismo, gerando um aumento do hormônio na corrente sanguínea que provocaria o desequilíbrio hormonal.
De acordo com a Diretriz Brasileira sobre a SOP, alimentação equilibrada e exercícios físicos melhoram a resistência à insulina, a fertilidade, além de regular a ovulação. Nesse sentido, é fundamental a mudança no estilo de vida.
Com o tratamento medicamentoso adequado, é possível também que a mulher tenha ovulação e possa engravidar. Dentre as opções, os anticoncepcionais orais têm sido muito utilizados e são seguros e eficazes.
A Síndrome do Ovário Policístico não tem cura e é preciso cuidar até a menopausa. No entanto, com o controle dos sintomas é possível prevenir possíveis problemas associados como: câncer de endométrio (tumor localizado na parede interna do útero), ataque cardíaco e diabetes
Em casos de suspeita de SOP, a mulher deve procurar um endocrinologista.