Endometriose: uma doença presente em 10% das brasileiras 24 out 2017

Durante o período menstrual o corpo das mulheres gera uma grande sensibilidade, o organismo reage de forma diferente dos outros dias comuns, algumas querem comer mais chocolate, outras afloram o estado emocional. Porém, segundo o Ministério da Saúde, uma em cada dez mulheres no Brasil, sofrem com as consequências de uma doença que causa grandes dores abdominais e tornam esse momento uma fase dolorosa: a endometriose. Uma doença inflamatória que ataca o tecido do útero, os ovários, a bexiga e até o intestino.
Os sintomas da endometriose, doença que acomete 10% das brasileiras, podem surgir na adolescência como cólica menstrual forte, dores durante a relação sexual, ao urinar, entre as menstruações, sangramento nas fezes ou urina e pode levar a infertilidade. O diagnóstico não é tão comum, pois muitas mulheres confundem os sintomas com as cólicas menstruais.
Na maioria dos casos, o diagnóstico é realizado através de exame clínico-ginecológico. A partir disso, avalia-se o estágio da doença e qual o tratamento seria indicado a mulher, que vai de medicamentos a um tratamento cirúrgico para retirar as lesões causada pela endometriose. Para definição do tratamento mais recomendado é levado em consideração a gravidade dos sintomas, a extensão e a localização da doença, a idade, efeitos dos medicamentos para o organismo da mulher e o desejo de gravidez.

Tratamento

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece o tratamento de acordo com a necessidade de cada paciente. Mulheres mais jovens podem utilizar medicamentos que suspendem a menstruação. Lesões maiores causadas pela infecção, em geral, devem ser retiradas cirurgicamente. Em alguns casos, o tratamento pode depender até mesmo do planejamento familiar da mulher. Quando não há melhora com os medicamentos, caso a mulher não tenha interesse em ter filhos, a remoção dos ovários e do útero é uma alternativa de tratamento.

Infertilidade

A presença da infecção nos ovários pode ocasionar o aparecimento de um cisto denominado endometrioma. Ele pode atingir grandes proporções e comprometer a fertilidade da mulher. Ter a doença não é sinal de infertilidade. O diagnóstico precoce e tratamento são importantes para a prevenção da saúde reprodutiva da mulher.
Busque regularmente a prevenção. Visite um médico, tire suas dúvidas e faça exames quando necessário.