Casos de sífilis aumentaram no Brasil nos últimos anos 21 nov 2017

Dados do boletim epidemiológico de 2017, divulgados recentemente pelo Ministério da Saúde, apontam que os casos de sífilis tiveram um crescimento considerável. Em adultos, o aumento foi de 27,9%, já entre as gestantes as taxas subiram cerca de 15%. Infecções por sífilis congênita, transmitida das mães para os bebês, cresceram aproximadamente 5%.
As causas para o aumento da doença se baseiam no desabastecimento de penicilina, medicamento eficaz contra a doença. De acordo com o boletim, a distribuição de testes rápidos para o diagnóstico da doença realizados na rede de saúde também contribuíram para esse crescimento. Com isso, a tendência é identificar mais casos e permitir o sistema de saúde tratar essas pessoas, diminuindo a transmissão da doença de mãe para filho.
O novo boletim revela que 37% das mulheres grávidas com sífilis conseguiram realizar precocemente o diagnóstico. Quando identificada ainda no primeiro trimestre da gestação, com o tratamento adequado, a doença não é transmitida para o bebê. Esse é um dos motivos para manter o pré-natal em dia. Com ele é possível monitorar a saúde da mulher e combater doenças como a sífilis. Especificamente para a gestante, a detecção precoce da sífilis é essencial para evitar a transmissão vertical e consequentes malformações no feto. Se não tratada a tempo, ela pode comprometer o sistema nervoso central, o sistema cardiovascular, além de órgãos como olhos, pele e ossos.
A maioria dos bebês que nasce infectado não apresenta nenhum sintoma da doença. No entanto, alguns podem apresentar rachaduras nas palmas das mãos e nas solas dos pés. Mais tarde, a criança pode desenvolver sintomas mais graves, como surdez e deformidades nos dentes.
A sífilis é facilmente tratada e diagnosticada. Com o teste rápido e o medicamento correto, segundo o relatório,  é possível reduzir essas taxas.
Diagnóstico de sífilis
Desde 2016, as  Unidades Básicas de Saúde realizam o teste rápido, com exames de sangue para a detecção da doença e raspagem nas lesões da pele e mucosas, um dos principais sintomas. Vermelhidão na pele, presença de íngua nas axilas, na região inguinal e aumento do fígado e do baço também são sintomas.
Tratamento
O medicamento eficaz para o tratamento da doença, em qualquer fase, é a penicilina e está disponível nas próprias Unidades Básicas de Saúde. Nas gestantes, ele é o único composto capaz de atravessar a placenta e assim proteger a criança.
A sífilis pode ser contida, prevenida e tratada. Cuide da sua saúde. Em caso de sintomas, procure um especialista.