Assistência social é um dos serviços essenciais no ambiente hospitalar 08 nov 2017

Priorizar o bem-estar coletivo e a integração das pessoas na sociedade é um dos papeis que regem a ampla atuação de um assistente social. Esses profissionais estão presentes em áreas como educação, família, lazer, reabilitação e não poderia faltar na saúde.
Aqui, no Hospital Bom Jesus, com o papel de orientar, planejar e promover um estado de saúde emocional positivo, em especial no ambiente hospitalar, contamos com a colaboração da assistente social Mônica Oliveira.
Na rotina do Hospital Bom Jesus, as atribuições da assistente social vão desde esclarecer e orientar os pacientes sobre seus direitos e prestar informações administrativas, até oferecer apoio e acolhimento aos familiares.
A profissional é referência durante os atendimentos hospitalares, já que o emocional dos pacientes e familiares podem sofrer perspectivas mudanças e apresentar dificuldades ao estabelecer uma relação direta ligada com as enfermidades de cada caso.
A situação de enfrentar problemas de saúde não é habitual e gera consequências negativas no cotidiano do paciente, como no trabalho, em casa, nos estudos e com a família. A assistente social proporciona bem-estar e integração.
Há cerca de 2 anos no HBJ, Mônica observa que o trabalho em equipe no hospital funciona em prol de um serviço de qualidade e humanizado. “É fundamental trabalhar com a equipe multidisciplinar de saúde, como médicos e enfermeiros, objetivando orientar e auxiliar os familiares e pacientes com relação ao diagnóstico e incentivar o tratamento”, afirma.
Para ela, o profissional de assistência social deve manter o olhar voltado para a humanização e gostar de pessoas em primeiro lugar. O trabalho de realizar acompanhamento, esclarecimento sobre tratamentos e questões institucionais torna o serviço dinâmico e personalizado a cada pessoa.  O sucesso profissional e o sentimento de dever cumprido são desatacados pelos serviços prestados. “É preciso ser um profissional proativo e investigativo. Interessar pela questão social, gostar de trabalhar com pessoas, ter senso de justiça social, buscar sempre a garantia do direito em primeiro lugar, em virtude de um serviço de qualidade”, completa a assistente social.
Mônica está diariamente interligada com cada paciente do hospital. São diversos casos no dia a dia, mas a atenção e cuidado personifica cada detalhe de seu trabalho. De acordo com a profissional, todos os pacientes que passam por ela deixam uma grande história. Cada uma com sua particularidade.
A assistente social relata que há alguns dias, um recém-nascido precisava de uma transferência e dos serviços de UTI neonatal, após uma busca rigorosa e dedicada o desafio foi concluído e a vaga encontrada. “O mais importante é saber que você, com persistência, consegue salvar uma vida indefesa. O agradecimento da família é o presente mais precioso que posso receber. Amo minha profissão. Sempre digo que o serviço social me escolheu e sou grata a Deus por fazer a diferença na vida dos pacientes do Hospital Bom Jesus”, ressalta.
O Hospital Bom Jesus se preocupa com a integridade de cada paciente. Com a intenção de oferecer uma melhor assistência ao público, dispõe de uma ouvidoria que registra queixas, sugestões, críticas e elogios de pacientes, acompanhantes, familiares e visitantes.
Além de aplicar uma pesquisa interna de satisfação que resulta em novas soluções e excelência nos serviços prestados, juntamente a equipe de assistência social. Tudo para a comodidade e conforto dos usuários.
Para um melhor atendimento e acolhida no âmbito hospitalar, ao nos fazer uma visita, responda a pesquisa e entre em contato conosco pela ouvidoria (ouvidoria@ahbj.com.br). Nós queremos te escutar!