Amamentar diminui o risco de câncer de mama 18 out 2017

Já sabemos que amamentar gera inúmeros benefícios para a saúde das mamães e bebês. Mas, você sabia que a prevenção do câncer de mama é um deles? O risco de contrair a doença a cada 12 meses de amamentação, cai 4,3%, segundo estudos realizados. Neste ano, a revisão do Fundo Mundial para Pesquisas sobre Câncer (World Câncer Research Fund – WCRF) sobre amamentação e câncer de mama apontou que o aleitamento materno pode diminuir o risco do câncer na mama em mulheres até a pós-menopausa. Ou seja, uma prevenção natural que independe de idade, etnia e situação hormonal.
Os mecanismos responsáveis para tal proteção ainda não foram completamente esclarecidos. A hipótese é que, enquanto a mulher está amamentando, ela bloqueia os ciclos ovulatórios. O que diminui a sobrecarga hormonal e, automaticamente, deixa de produzir um quantitativo maior de hormônios femininos. A explicação se baseia no fato que grande parte dos casos de câncer de mama sofrem influência dos hormônios femininos.
O fato é que amamentar provavelmente diminui o risco de câncer de mama em mulheres na pré e pós menopausa. Além disso, a amamentação está associada a outros benefícios de saúde para a mulher e para a criança. Outras formas de contribuir para diminuir o risco do câncer de mama é praticar exercícios físicos regularmente, manter o peso ideal para a idade, evitar o consumo álcool e manter uma dieta rica em frutas, verduras e legumes.

Câncer de mama

Com uma estimativa de mais de dois milhões de casos novos e cerca de 530 mil mortes em 2015 no mundo, o câncer de mama é um dos mais comuns que acometem as mulheres. No Brasil, estimam-se 57,9 mil casos novos a cada ano.
A recomendação do Ministério da Saúde é a realização da mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) em mulheres de 50 a 69 anos, uma vez a cada dois anos.
Não deixe de se prevenir! Procure um médico e esclareça suas dúvidas.