AHBJC alerta sobre aumento dos casos de insuficiência venosa crônica no hospital 30 jun 2017

O Hospital Bom Jesus de Congonhas alerta para um aumento significativo de casos de insuficiência venosa crônica, em especial de varizes de membros inferiores, entre mulheres na faixa etária dos 30 aos 60 anos.  Segundo a angiologista, Dra Lara Mendes Chaer,  “o hospital tem se tornado referência em doenças vasculares, o que não acontecia anteriormente, o que contribui para o aumento da demanda”.
As varizes, por exemplo, é um problema que afeta grande parte da população, sobretudo mulheres que se preocupam com a estética das pernas, mas, principalmente, que sofrem  com as dores e os desconfortos. Entretanto, as varizes são apenas uma parte, uma etapa de uma doença muito mais complexa intitulada Insuficiência Venosa Crônica (IVC).
Por ser uma doença crônica e evolutiva, as pessoas que têm varizes podem chegar a estágios mais avançados da doença, provocando alterações irreversíveis na pele da região afetada.
As pessoas devem procurar imediatamente um médico quando começam a desenvolver sintomas como inchaço nos pés, tornozelos e pernas, mancha escura, mancha ocre, em volta do tornozelo, um espessamento e endurecimento da pele em volta do tornozelo e feridas ou úlceras nas pernas ou tornozelos.
Alguns fatores contribuem para o desenvolvimento ou piora da doença. Entre os mais comuns podemos citar:
Tendência familiar: um histórico de parentes próximos como avós, pais e irmãos com varizes, indica um risco maior de apresentar o problema.
Obesidade ou sobrepeso sobrecarrega o sistema venoso, particularmente das pernas, facilitando o aparecimento da dilatação venosa.
Sedentarismo é um fator de risco para várias doenças. O movimento muscular, particularmente da panturrilha (batata da perna), é um importante mecanismo que auxilia na circulação das pernas. A falta de exercícios piora essa circulação e aumenta a chance de problemas venosos.
Várias gestações em um curto período de tempo. Na mulher grávida é muito comum a ocorrência de varizes.  Apesar de quase sempre ocorrer um aumento de veias durante o período gestacional, é provável que uma boa parte destas varizes diminua espontaneamente, sem qualquer procedimento, nas semanas que se seguem ao parto.